Reiki


Reiki é uma palavra japonesa que significa “Energia Vital Universal”. O Reiki não é uma religião e nem uma crença. Ele abre novos caminhos para experiência espiritual e o aprendizado. Para receber a técnica do Reiki, a pessoa precisa passar por uma iniciação feita por um Metre de Reiki. Essa iniciação é feita pela imposição das mãos em forma de uma concha, visualizando símbolos (secretos) entrando no corpo da pessoa. Em uma iniciação a pessoa que vai receber o Reiki, fica em uma posição confortável, com a coluna reta para facilitar a absorção de energias. Geralmente durante as sessões muitos mestres de Reiki preferem ficar em silêncio para facilitar a conexão com seus mestres, seres superiores e outras energias. As posições são variadas trabalhado atrás da cabeça e na frente. A duração de uma iniciação pode levar de uma hora a meia hora, variando de mestre para mestre. Após esta iniciação a pessoa não precisa passar novamente por este processo para melhorar ou recuperar os seus canais de energia. A pessoa passa por uma grandiosa transformação, se tornando diferenciada das outras. Esta transformação permanece por toda a vida.

Aprenda o passo-a-passo da shantala

Comece a praticar já essa massagem que os bebês adoram e perceba todos os benefícios que ela proporciona a seu filhote: mais calma, menos cólica e um soninho bom!



Passo 1 Sente-se no chão, mantenha as costas apoiadas na parede e as pernas esticadas. Aqueça suas mãos em água morna ou friccionando-as com o óleo vegetal puro. Cada movimento deve ser repetido de três a dez vezes. Deslize as mãos espalmadas do centro do peito do bebê para as axilas e do centro do peito para os ombros.
Passo 2 Com as mãos em X, deslize uma mão do peito para o ombro esquerdo e a outra do peito para o ombro direito.
Passo 3 Envolva o braço do bebê com a mão, formando uma espécie de bracelete, e vá do ombro em direção ao punho.
Passo 4 Abra a mãozinha do bebê com seus polegares, indo desde a palma até os dedinhos.
Passo 5 Deslize toda a mão pela mão do bebê.

Passo 6 Segure cada dedinho, do polegar ao mindinho, fazendo uma massagem na ponta de cada um. Repita os movimentos no braço e na mão direita.
Passo 7 Com as mãos em concha, escorregue a lateral externa das mãos desde a base das costelas até o quadril.
Passo 8 Segure as perninhas para o alto e use o antebraço para deslizar da costela ao quadril do bebê.
Passo 9 Envolva a perna do bebê com a mão, formando um bracelete, e vá desde a virilha até o tornozelo, alternando as mãos.
Passo 10 Com as duas mãos, faça um movimento giratório, de vai-e-vem, desde a virilha até o tornozelo, ficando um pouco mais no tornozelo para estimular a circulação.
Passo 11 Movimente seus polegares do centro do pezinho do bebê aos dedinhos.
Passo 12 Deslize toda a mão pelo pé do bebê.




Passo 13 Segure cada dedo, começando sempre pelo polegar, e massageie a pontinha de cada um deles. Repita os movimentos com a perna e o pé direitos.

Passo 14 Depois de virar o bebê de costas, deixando-o perpendicular às suas pernas e com a cabeça voltada para o seu lado esquerdo, mantenha as duas mãos espalmadas e faça movimentos de vai-e-vem, descendo da nuca ao bumbum e depois subindo.

Passo 15 Mantenha sua mão direita no bumbum do bebê e deslize a mão esquerda com o polegar aberto, da nuca ao bumbum.
Passo 16 Depois de voltar o bebê para a posição inicial, junte os dedos no centro da testa do bebê e faça um semicírculo, contornando cada olho. Volte para o centro da testa e faça outro semicírculo, indo em direção às maçãs do rosto. Por fim, faça semicírculos, indo até o queixo. Passo 17 Com os polegares, suba desde a base do nariz até o centro da testa e volte, fazendo um movimento de vai-e-vem.
Passo 18 Segure as mãos do bebê, abra seus bracinhos e depois feche, cruzando-os e alternando o braço que fica por cima. O exercício ajuda a aliviar tensões nas costas e melhora a respiração. Passo 19 Cruze as perninhas do bebê em posição de lótus, com o pé sobre o joelho oposto e o outro joelho sobre o outro pé, e leve-as em direção à barriga. Alterne as perninhas.
Passo 20 O banho de imersão, em água morna, com apenas o rostinho e os ouvidos do bebê de fora, elimina as tensões que ainda possam existir no corpo dele e retira o excesso de óleo. Segure-o por baixo e deixe-o flutuar por entre cinco e dez minutos.




Fonte: Google
Reportagem: Thays Prado
Fotos: Bruno Gabriel


Um pequeno comentário: Eu tive colegas em minha turma que defenderam em suas monografias as técnicas da Shantala. Elas aplicaram a massagem em crianças internadas em Hospitais da Região e comprovaram através de exames de sangue e subjetivos que a Shantala melhora as condições de saúde física, mental e emocional das crianças. E isso poderia ser melhorado ainda mais se quem estivesse executando a técnica fosse a mamãe ou o papai da criança internada. Patrícia

Afinal, o que são "Chakras?



O que são chakras?



Chakra é a denominação sânscrita dada aos centros de força existentes nos corpos espirituais do homem; também são chamados de lótus ou rodas.
Quando eles estão inativos assemelham-se a rodas; quando despertam, eles tomam a aparência de uma flor de lótus aberta, irradiante, colorida pela freqüência da energia das pétalas, estes centros de energia são a ligação de nossos quatro corpos inferiores, quando colocados, todos os setes grandes chakras em harmonia total, poderemos dar seqüência ao trabalho de segmento ou evolução em direção a Luz.
É importante que saibamos, que quando trabalhamos de forma individual o chakra, incorremos em risco de distúrbios em um de nossos quatro corpos inferiores, referente á área em qual se objetivou o trabalho, portanto, é aconselhável ao estudante que utilize o conhecimento e técnicas de forma geral e nunca individual. Estas técnicas também são válidas para chakras que se encontram em distúrbios.
Os chakras seguem certas linhas de canais de transmissão, chamados de "meridianos" na medicina chinesa e "nadis" em sânscrito. Quando uma energia negativa é percebida em um dos chakras, é possível, através de técnicas apropriadas, retirar conscientemente esta energia negativa, harmonizando novamente os nossos centros energéticos, até chegar o dia, em que nenhuma energia negativa poderá se introduzir nos centros, devido ao equilíbrio e harmonia de nossos chakras.

Possuímos em nossos corpos, sete grandes chakras, centros de energia, os chakras mais desenvolvidos nos seres humanos comuns, são os de Base, Alma e Plexo Solar e precisam ser reorganizados, reorientados, e trazidos de um estado de positividade para negatividade.
Os chakras do Coração, Garganta, Terceiro Olho e Coroa precisam ser despertados e trazidos de um estado de negatividade para o de positividade.

Junto aos nossos chakras, encontramos as famosas Glândulas Endócrinas, escritas em ordem encontradas no corpo humano, de baixo para cima, glândulas reprodutiva, pâncreas, supra-renais, timo, tireóide, pineal e pituitária.

Meditação Guiada 1

Minhas Meditações


video



Editei este vídeo com o objetivo de facilitar nossas meditações. Espero que gostem e aprovem!



Patrícia




Lenda Oriental


Conta uma popular lenda do Oriente que um jovem chegou à beira de um oásis junto a um povoado e, aproximando-se de um velho, perguntou-lhe: - “Que tipo de pessoa vive neste lugar? - “Que tipo de pessoa vivia no lugar de onde você vem?” – perguntou por sua vez o ancião. - “Oh, um grupo de egoístas e malvados – replicou o rapaz. Estou satisfeito por ter saído de lá.” A isso o velho replicou: - “A mesma coisa você haverá de encontrar por aqui.” No mesmo dia um outro jovem se acercou do Oásis para beber água e, vendo o ancião, perguntou-lhe: - “Que tipo de pessoa vive por aqui?” O velho respondeu com a mesma pergunta: - Que tipo de pessoa vive no lugar de onde você vem? O rapaz respondeu: - “Um magnífico grupo de pessoas, amigas, honestas, hospitaleiras. Fiquei muito triste por tê-las deixado”. - “O mesmo encontrarás por aqui”- respondeu o ancião. Um homem que havia escutado as duas conversas perguntou ao velho : - “Como é possível dar respostas tão diferentes à mesma pergunta? Ao que o velho respondeu: - “Cada um carrega em seu coração o meio ambiente em que vive. Aquele que nada encontrou de bom nos lugares por onde passou, não poderá encontrar outra coisa por aqui. Aquele que encontrou amigos ali, também os encontrará aqui, porque, na verdade, a nossa atitude mental é a única coisa em nossa vida sobre a qual podemos manter controle absoluto”. - Moral da história: a responsabilidade pela vida que levamos é inteiramente nossa, nós fazemos o meio em que queremos viver, as pessoas que queremos conviver…….as escolhas são unicas e exclusivamente nossas. Que tipo de escolha está fazendo neste momento????

Fonte: Moderador de "Eternos Buscadores" Rogério R+C apud Cintia

Mandalas e seus significados

Atualmente, bem-estar e qualidade de vida são objetos de grande desejo de todo ser humano. E quanto mais “natural” o processo de aquisição dessa estrutura, melhor. Uma das maneiras de alcançar essa paz interior é por meio das mandalas.
A mandala nada mais é do que um campo de força, no qual as formas, a estrutura numérica e as cores possuem poderes vibracionais atuantes. “Quando fazemos contato visual com uma mandala, nossa energia se altera e essa modificação é sempre muito positiva”, explica Celina Fioravanti no livro “Mandalas – Como usar a energia dos desenhos sagrados”.
Todas as mandalas possuem os seguintes elementos: a forma circular; o ponto central; e a repetição ou simetria das formas que constituem o desenho. De acordo com Celina, cada parte da mandala possui um simbolismo:
-O espaço interior, onde são desenvolvidas as formas, é sagrado, enquanto aquilo que está fora desse espaço é profano;
-O ponto central representa uma existência superior, a fonte de toda a criação;
-O desenho da mandala tem quase sempre uma estrutura geométrica que divide o espaço em porções simétricas. A emanação das figuras geométricas e do número de divisões do espaço determinam a chamada “vibração da mandala”.
-O simbolismo das cores e seu poder vibratório.
Os números na mandala
A base da mandala é definida pela divisão do espaço circular. Por exemplo, se há apenas um elemento principal dentro do espaço circular, essa mandala tem base um.
-Base um: simboliza o princípio; são fortes e estão diretamente ligadas ao conceito de Deus;
-Base dois: representa a dualidade, as polaridades opostas da energia, que se unem para gerar uma terceira força;
-Base três: representa realizações no plano da matéria a partir de motivações espirituais;
-Base quatro: está ligada ao poder e à ação objetiva;
-Base cinco: está relacionada com a leveza, a fluidez, a alegria e a alquimia; é base para as mandalas com base dez e 15;
-Base seis: é formada pela multiplicação do dois e do três, dos quais absorve um pouco os simbolismos; uma mandala com base seis quase sempre contém também o número 12;
-Base sete: extrai suas vibrações da soma dos conceitos simbólicos dos números três e quatro, que unem a elevação com a materialidade; dobro de sete, a base 14 está ligada à alquimia e à magia;
-Base oito: a sua influência é exercida no plano material com muita força; a base 16, dobro de oito, gera o número espiritual mais poderoso; e
-Base nove: essa base acalma, ajuda a estudar e a aprender, facilita tudo o que é muito especializado; a base 18, dobro de nove, gera mandalas com muita força sobre o inconsciente e suas manifestações.
Celina ressalta no livro “Mandalas – Como usar a energia dos desenhos sagrados” que existem mandalas com duas ou mais bases numéricas, em que os conceitos e a emanação da mandala têm duas atuações distintas. “Uma mandala com duas vibrações é mais fraca que uma mandala com apenas uma emanação vibracional”, diz.
A geometria na mandala
Na maior parte das vezes, são as formas geométricas da mandala que criam as vibrações numéricas.
-Círculo: indica a área de atuação de Deus, a abrangência de seu poder, é o símbolo do céu;
-Triângulo: representa o homem em sua busca espiritual;
-Quadrado: simboliza a matéria, o mundo das ações e realizações físicas, num plano de existência puramente terrestre;
-Pentágono e pentagrama: como pentágono, lembra o quinto elemento, o éter. Como pentagrama ou estrela de cinco pontas, emana vibrações de liberdade de ação e de pensamento; e
-Hexágono e estrela de seis pontas: o hexágono indica o campo de atuação da busca espiritual. A estrela de seis pontas ou estrela de Davi representa a fé aplicada à vida material e a fé transformada numa ligação real com Deus.

As cores na mandala

As cores nas mandalas têm uma função altamente estimulante e terapêutica:
-Vermelho: afasta a depressão, tira o desânimo e traz poder no plano material;
-Amarelo: cor da inteligência, do estudo e da criatividade;
-Azul: traz paz, harmonia e serenidade;
-Laranja: cor da reconstrução, da correção e da melhora;
-Verde: melhora qualquer estado físico negativo e cura o corpo, da mesma maneira, cura a alma quando está abatida; e
-Lilás: evita que as energias indesejadas se instalem.

Como usar as mandalas

De acordo com Celina, existem muitas maneiras de aproveitar a energia emanada pelas mandalas. “Olhas para as mandalas é a primeira maneira de receber suas emanações positivas. Ao olhar uma mandala, sua estrutura começa a agir em nosso interior e gera modificações energéticas para as quais ela está programada”, explica a autora do livro “Mandalas – Como usar a energia dos desenhos sagrados”.
O primeiro cuidado é escolher a mandala certa para olhar. “Prepare um lugar calmo e isolado. Pode haver música, incenso, velas… O essencial é poder estar ali em paz e sem ser interrompido”, ressalta. Coloque o desenho na sua frente e feche os olhos. Faça respirações profundas. Quando estiver mais concentrado, abra os olhos e olhe diretamente para a mandala. Procure deixar sua mente livre de preocupações.
“Permaneça olhando quanto tempo quiser. Se ficar cinco minutos, irá se sentir bem e em harmonia. Se ficar 15 minutos, irá restaurar sua energia interior e exterior. Se ficar 30 minutos, bem concentrado no desenho, provavelmente acabará meditando com a ajuda da mandala”, finaliza Celina Fioravanti.
Bibliografia - “Mandalas – Como usar a energia dos desenhos sagrados”, de Celina Fioravanti, com desenhos de Vagner Vargas, da Editora Pensamento.

Saiba mais sobre Doação de Órgãos








Doação de Órgãos



O nascimento é a celebração maior da vida, quando uma nova pessoa surge e traz felicidade para todos. Mas existe outro momento que enche de alegria os corações de muitos: é o nascer de novo. A oportunidade de recomeçar a vida, quando as esperanças já são poucas, é o maior presente que alguém pode receber. E existem pessoas que precisam muito deste presente. Por isso, o Ministério da Saúde está investindo na conscientização a respeito da Doação de Órgãos. Sua participação é fundamental.Seus órgãos, tecidos, medula óssea e sangue podem salvar vidas. Avise a sua família que você quer ser doador. No Brasil, a doação só acontece com o consentimento dos familiares. Se você tem um doador na família, respeite a vontade dele.


Doe órgãos! A vida pode continuar!





O Ministério da Saúde determina que todos os hospitais públicos, privados e filantrópicos, com mais de 80 leitos, constituam uma "Comissão Intra-Hospitalar de Doação de Órgãos e Tecidos para Transplantes".

Tirando suas dúvidas


1. Como posso me tornar um doador de órgãos?

O passo principal para você se tornar um doador é conversar com a sua família e deixar bem claro o seu desejo. Não é necessário deixar nada por escrito. Porém, os familiares devem se comprometer a autorizar a doação por escrito após a morte. A doação de órgãos é um ato pelo qual você manifesta a vontade de que, a partir do momento da constatação da morte encefálica ou da parada cardio-respiratória, uma ou mais partes do seu corpo (órgãos ou tecidos), em condições de serem aproveitadas para transplante, possam ajudar outras pessoas.

Há duas situações para ser um doador: aquela em que o doador morre da parada cardio-respiratória (o coração para de bater), é o doador de córneas e ossos; e a morte encefálica, é o doador para múltiplos órgãos.


2. Quais os requisitos para ser considerado um doador?
Ter identificação e registro hospitalar;
Ter a causa da morte estabelecida e conhecida;
Não apresentar hipotermia (temperatura do corpo inferior a 35ºC), hipotensão arterial ou estar sob efeitos de drogas depressoras do Sistema Nervoso Central;
Passar por dois exames neurológicos que avaliem o estado do tronco cerebral. Esses exames devem ser realizados por dois médicos não participantes das equipes de captação e de transplante;
Submeter-se a exame complementar que demonstre morte encefálica, caracterizada pela ausência de fluxo sangüíneo em quantidade necessária no cérebro, além de inatividade elétrica e metabólica cerebral;
Estar comprovada a morte encefálica. Situação bem diferente do coma, quando as células do cérebro estão vivas, respirando e se alimentando, mesmo que com dificuldade ou um pouco debilitadas.
Observação: Após diagnosticada a morte encefálica, o médico do paciente, da Unidade de Terapia Intensiva ou da equipe de captação de órgãos deve informar de forma clara e objetiva que a pessoa está morta e que, nesta situação, os órgãos podem ser doados para transplante.


3. O que é morte encefálica?
É a morte do cérebro, incluindo tronco cerebral que desempenha funções vitais como o controle da respiração. Quando isso ocorre, a parada cardíaca é inevitável. Embora ainda haja batimentos cardíacos, a pessoa com morte cerebral não pode respirar sem os aparelhos e o coração não baterá por mais de algumas poucas horas. Por isso, a morte encefálica já caracteriza a morte do indivíduo. Não podemos nos confundir com coma. Todo o processo pode ser acompanhado por um médico de confiança da família do doador. É fundamental que os órgãos sejam aproveitados para a doação enquanto ainda há circulação sangüínea irrigando-os, ou seja, antes que o coração deixe de bater e os aparelhos não possam mais manter a respiração do paciente. Mas se o coração parar, só poderão ser doadas as córneas.


4. Quero ser um doador de órgãos. O que eu posso doar?
a) CÓRNEAS

Retiradas do doador até seis horas depois da parada cardíaca e mantidas fora do corpo por até sete dias.

b) CORAÇÃO

Retirado do doador antes da parada cardíaca e mantido fora do corpo por no máximo seis horas.

c) PULMÕESRetirados do doador antes da parada cardíaca e mantidos fora do corpo por no máximo seis horas.

d) RINS

Retirados do doador até 30 minutos após a parada cardíaca e mantidos fora do corpo até 48 horas.

e) FÍGADORetirado do doador antes da parada cardíaca e mantido fora do corpo por no máximo 24 horas.

f) PÂNCREAS

Retirado do doador antes da parada cardíaca e mantido fora do corpo por no máximo 24 horas.

g) OSSOS

Retirados do doador até seis horas depois da parada cardíaca e mantidos fora do corpo por até cinco anos.

h) MEDULA ÓSSEA

De compatível, feita por meio de aspiração óssea ou coleta de sangue.

i) PELE

j) VALVAS CARDÍACAS

5. Para doar córnea é preciso estar em morte encefálica?
Não somente. As córneas podem ser retiradas até 6 hs após a parada do coração. O limite de idade é de 2 a 80 anos.

6. Quem não pode doar?
Pacientes portadores de insuficiência orgânica que comprometa o funcionamento dos órgãos e tecidos doados, como insuficiência renal, hepática, cardíaca, pulmonar, pancreática e medular;
Portadores de doenças contagiosas transmissíveis por transplante, como soropositivos para HIV, doença de Chagas, hepatite B e C, além de todas as demais contra-indicações utilizadas para a doação de sangue e hemoderivados;
Pacientes com infecção generalizada ou insuficiência de múltiplos órgãos e sistemas;
Pessoas com tumores malignos - com exceção daqueles restritos ao sistema nervoso central, carcinoma basocelular e câncer de útero - e doenças degenerativas crônicas.
7. Quem recebe os órgãos e/ou tecidos doados?

Quando é reconhecido um doador efetivo, a central de transplantes é comunicada, pois apenas ela tem acesso aos cadastros técnicos com informações de quem está na fila esperando um órgão. Além da ordem da lista, a escolha do receptor será definida pelos exames de compatibilidade entre o doador e o receptor. Por isso, nem sempre o primeiro da fila é o próximo a receber o órgão.

8. Como garantir que meus órgãos não serão vendidos?
As centrais de transplantes das secretarias estaduais de saúde controlam todo o processo, desde a retirada dos órgãos até a indicação do receptor. Assim, as centrais de transplantes controlam o destino de todos os órgãos doados e retirados.

9. A retirada dos órgãos deforma o corpo?
Não. A diferença não dá para perceber. Aparentemente o corpo fica igualzinho. Aliás, a lei é clara quanto a isso: os hospitais autorizados a retirar os órgãos têm que recuperar a mesma aparência que o doador tinha antes da retirada. Para quem doa não faz diferença, mas para quem recebe sim!

10. Quem arca com os custos de doação?
Todas as despesas são pagas pelo Sistema Único de Saúde (SUS).

11. Posso doar meus órgãos em vida?
Sim. Também existe a doação de órgãos ainda vivo. O médico poderá avaliar a história clínica da pessoa e as doenças anteriores. A compatibilidade sangüínea é primordial em todos os casos. Há também testes especiais para selecionar o doador que apresenta maior chance de sucesso. Os doadores vivos são aqueles que doam um órgão duplo como o rim, uma parte do fígado, pâncreas ou pulmão, ou um tecido como a medula óssea, para que se possa ser transplantado em alguém de sua família ou amigo. Este tipo de doação só acontece se não representar nenhum problema de saúde para a pessoa que doa.
Para doar órgãos em vida é necessário:
Ser um cidadão juridicamente capaz;
Estar em condições de doar o órgão ou tecido sem comprometer a saúde e aptidões vitais;
Apresentar condições adequadas de saúde, avaliadas por um médico que afaste a possibilidade de existir doenças que comprometam a saúde durante e após a doação;
Querer doar um órgão ou tecido que seja duplo, como o rim, e não impeça o organismo do doador continuar funcionando;
Ter um receptor com indicação terapêutica indispensável de transplante;
Ser parente de até quarto grau ou cônjuge. No caso de não parentes, a doação só poderá ser feita com autorização judicial.

12. Que órgãos e tecidos podem ser doados em vida?
Rim
Pâncreas
Medula Óssea (se compatível, feita por meio de aspiração óssea ou coleta de sangue)
Fígado (apenas parte dele, em torno de 70%)
Pulmão (apenas parte dele, em situações excepcionais)

Fontes: www.abto.org.br - www.saude.gov.br



Yôga para TPM

Yôga pode ajudar a melhorar a TPM



Movimentos de yôga podem ajudar a amenizar a TPM (Tensão Pré Menstrual), atuando como relaxantes em dias de fúria ou estimulantes quando o problema é a sensação de moleza.

Para ESTIMULAR execute cada postura na sequência, sem tempo de permanência em nenhuma delas; a ênfase é colocada na inspiração.
Para RELAXAR vale a mesma sequência, mas com pequena permanência em cada postura (alguns segundos), respirando naturalmente algumas vezes.

Dia Mundial do Yoga


Dia do Sol, do planeta Terra, da vida, da inteligência, da humanidade e da paz mundial

O Dia Mundial do Yoga, projetado pela primeira vez no Mundo pela Associação Lusa de Yoga, em 2001 – início do Milênio, é um Dia em prol da prática global do Yoga: pelo completo Desenvolvimento Humano, aumentando a Consciência da relação Corpo / mão – Energia – Emoções Positivas – Mente – e Além da Mente, “Overmind”; pela saúde integral e profilática, e pela longevidade funcional.É o Dia do Sol, o maior Dia do Ano (Hemisfério Norte), Dia da Luz e do Conhecimento anti obscurantista a ela associado, é o Dia do Planeta Terra, da Vida que Ela sustenta, e da Inteligência que à Vida deve presidir; é o Dia da Humanidade e da Fraternidade Humana.É um Dia pela Consciência Global Planetária, pela Ecologia, pelo Ecumenismo Filosófico, pela Inteligência, pelo fim do derramamento de sangue e da agressão, pela Paz Mundial, pela Fraternidade Humana, pela Igualdade Inter Étnica, pela honra, dignidade e igualdade da Mulher, pela protecção à Criança, pelo fim da fome, pelo esbatimento das desigualdades mundiais, pela Liberdade, pelos oprimidos, pelo fim dos ditadores, pelo fim da corrupção, pela Justiça, pela Educação e pela Investigação, pela Arte, e pelo respeito pelos animais; é um Dia pela Consciência Cósmica.O Dia Mundial do Yoga pretende ser o primeiro dia onde durante 24 horas não haja derramamento de sangue, em cada País, Continente, e em todo o Mundo.O Dia Mundial do Yoga é candidato a primeiro Feriado Mundial – no Solstício de Junho, 21.

Fases do Amadurecimento dos Corpos

FASES DO AMADURECIMENTO DOS CORPOS:



Para cada um dos nossos corpos há um período de amadurecimento e transformação. Sabemos que a cada 7 anos, por exemplo, todas as células do nosso corpo físico renovam-se automaticamente. Se isto acontece com um de nossos corpos, por que não haveria de acontecer com os demais? Segundo a Filosofia Sagrada do Vidya Yoga, o homem possui sete corpos:



Físico
Energético (ou astral)
Emocional
Mental Inferior
Mental Superior
Intuitivo
Espiritual




As diversas religiões e filosofias em todo o mundo também fazem a divisão dos corpos do ser humano, sendo que cada uma dá o seu ponto de vista. Por exemplo, a Igreja Católica Apostólica Romana divide o ser humano em "corpo e alma", subentendendo que o corpo é o composto de todos os veículos (Shariras) e alma é o veículo espiritual. O Espiritismo, por sua vez, pela codificação de Allan Kardec, afirma que o ser humano é composto de "corpo, perispírito e espírito". Neste caso, o corpo diz respeito ao veículo puramente físico; o perispírito diz respeito aos veículos energético, emocional, mental e intuicional, e o espírito é o próprio veículo espiritual do ser humano. O Vedanta afirma que o ser humano é composto de "5 corpos", sendo que os quatro primeiros são veículos densos e materiais, os quais são alimentados por alimento, Prana, emoção e razão, e o último, Anandamaya Kosha é o veículo da "bem-aventurança". Já o Samkhya (linha espiritualista, natural, dos seguidores de Shiva), afirma que o ser humano é composto dos sete corpos já mencionados acima.





Amadurecimento dos Corpos
As fases do amadurecimento dos corpos, são as seguintes:








Sabemos que os Shariras estão diretamente ligados com os Chakras, e que estes estão relacionados com a Evolução Septenária.

AS LINHAS DA YOGA





AS LINHAS DA YOGA





HATHA-YOGA:Hatha quer dizer Domínio. Os mais dispostos fisicamente sentirão atração pela Hatha Yoga, que utiliza o domínio externo e interno do corpo físico como ponto de partida.


LIMPAR AS VIDRAÇAS PARA QUE A LUZ PENETRE. Tecnicamente é um sistema de técnicas psicossomáticas que servem de instrumento para transformar o corpo físico num corpo divino.


Quatro elementos do Hatha Yoga:


1-âsana (posições corporais);


2-Pranayama (Técnicas de Respiração);


3-Relaxamento Corporal;


4-Atitude Mental.


5-Os âsanas são feitos de maneira suave, lento e uniforme, sem esforço físico, a postura serve para movimentar, canalizar as energias e não gastá-las.
RAJA-YOGA:O talento meditativo, que utiliza o domínio interno dos mecanismos da atividade mental. Trata da mente e dos poderes psíquicos, fortifica a VONTADE e a CONCENTRAÇÃO MENTAL. Rajá significa Rei, esse sistema de Yoga foi introduzido por Patanjali e significa UNIÃO REAL com a divindade.Oito etapas da prática do Raja-Yoga:


1-YAMAa. (Refreamentos: Não violência, verdade, não furtarás, continência, não possessividade;


2-NIYAMAa.Observâncias: Purificação, contentamento, esforço sobre si, estudo e consagração.


3-ÂSANAS: a.Posturas corporais (exercícios suaves de canalização energética).


4-PRANAYANA:a.Disciplinas de Respiração.


5-PRATYAHARA: a.Retraimento dos sentidos.


6-DHARAMA:a.Fixação da atenção, concentração.


7-DHYANA:a.Meditação


8-SAMADHI a.Contemplação, êxtase, transcendência.


O Raja-Yoga mostram as leis que governam os mistérios, desenvolve os dons anímicos como a clarividência capacidade de ver o passado e o futuro; a faculdade de ver o seu interior, ver as vidas passadas, as sua e dos outros. O yogue então alcança o estado chamado de "Liberado-Vivo", no qual continua a ter uma existência corporal, porque lhe resta um resíduo Kármico a consumir.


KARMA-YOGA


A palavra Karma é derivada da Raiz KRI cujo significado é agir, fazer.A Yoga da ação. Cada trabalho na terra deve ser feito com amor, sem egoísmo, já que pela lei do Karma, cada ação corresponde a uma reação.Ação, Reação e Liberdade. A que se preocupa com a ética, busca a atividade externa a vida ativa com a renúncia progressiva ao objeto da ação. A idéia fundamental, é evitar que se fique preso ao emaranhado as ilusões da terra, provenientes do mundo Maya, evitar que os homens se tornem escravos e não senhores de si e de seus sentimentos.O Karma-Yoga tem como base a atividade da vida, ir ao encontro dos acontecimentos enfrentá-los no dia-a-dia, desta forma o amor, comer, beber falar, exercícios, qualquer função orgânica são KARMA. Para esse yogue toda ação no mundo físico é governada pela lei do Karma. Bhagavad-Gita nos aconselha a não nos apegarmos ao trabalho que fazemos, de forma a não nos aprisionarmos nossa alma.




BHAKTI-YOGA




A palavra Bhakti é derivada da raiz Bhaj, que significa DEVOÇÃO, supremo apego ao senhor.O tipo emocional, devoto deve provavelmente ser atraído por essa linha da yoga que é a prática do amor e a devoção a Deus e ao próximo (Cristianismo).O Bhakti-Yoga prega que a meta final de todas as religiões pode ser alcançada pelo amor e adoração ao Supremo ou Absoluto, que é o criador do universo. Segue a linha do Cristianismo, Judaísmo, Maometismo, e outros sistemas dualistas.As formas de Bakti-Yoga divide-se em dois grandes ramos, o preparatório:


GAUNI: Contém todas as Práticas preliminares. Respeito, reverência, concentração, respiração, relaxamento. Não deve matar nenhum animal para alimentar-se (vegetarianismo)


PARÂ: Toda a prática de recolhimento interno de adoração a Deus, um Deus pessoal.


JNANA-YOGA


A palavra Jnana derivada da palavra Jna significa CONHECIMENTO.O espírito intelectual e filosófico identificar-se-á com a JNANA-YOGA, que emprega o discernimento e conhecimento abstrato.As cortinas da ilusão serão rasgadas pelo praticante do Jnana, que é um perfeito investigador da verdade. Possui 3 aspectos (volitivo, afetivo e cognitivo) do ser humano:Sete qualificações exige-se do praticante do Jnana.

1º)VIVEKA (DISCERNIMENTO): A Realidade da aparência – sonhos, alucinações, ilusões.Realidade Empírica – a da experiência cotidiana, está submetida a uma mudança perpétua, aquilo que em um dado momento é real em outro não é mais, não pode ser considerado verdadeiramente real. Realidade Absoluta: Só esta é eterna e real, quem é um yogue jnana busca incessantemente esta realidade.

2º)VAIRAGYA (RENÚNCIA):É o desinteresse por todos os objetos de prazer, renuncia a todos os frutos do trabalho, a vida, a morte, a alegria, a angústia tudo isso não passa de criações mentais.3º)TAPAS (AUSTERIDADE):Composto de seis tesouros: Tranqüilidade, autocontrole, controle da mente, tolerância, contemplação e fé.

4º)MUMUKSUTVA (A LIBERAÇÃO):O desejo intenso de se livrar de todas as formas de servidão.

5º)CRAVANA (AUDIÇÃO):Ouvir atentamente, para poder captar todos os ensinamentos.

6º)MAMANA (REFLEXÃO):Refletir constantemente sobre todos os ensinamentos, eliminar dúvidas.

7º)NIDIDHYASANA (MEDITAÇÃO):Meditação constante sobre as doutrinas reveladas pelos estudos, mestres e escrituras. Sentado num lugar retirado, meditação inquebrantável a qualquer manifestação do exterior, aprofundando-se no infinito.


TANTRA-YOGA:O dominio das energias sutis, leva ao Tantra yoga (KUNDALINI, ENERGIA ADORMECIDA) exercicios das energias psíquicas e fisiológicas. É a yoga dos chakras, principalmente o chakra básico.O despertar da serpente, libertar a energia sexual adormecida na base da coluna no coccix é a função da KUNDALINI-YOGA ou TANTRA-YOGA. Existem duas correntes Kundalinícas, uma amarela e outra vermelha que quando desperta, vão serpenteando a coluna vertebral até o chakra coronário, fluindo energias para todos os outros. A energia positiva com a cor amarela chama-se pingala e a vermelha chama-se ida no homem, na mulher essa energética é invertida.A kundalini está adormecida (serpente energética), obstruindo com sua cabeça a entrada de Sushumna base da coluna no chakra básico (radico), para despertar a kundalini são aliadas várias técnicas, posturas, respiração e um cuidado todo especial.Segundo os Tantras, "a tranqüilidade e a paz vêm de dentro para fora". Derivado do verbo tantori (tecer), Tantra Yoga é um termo sânscrito que significa a essência ou urditura daquilo que é tecido. Segundo outra versão, deriva da raiz Tan, que quer dizer estender. Como os tantras também são conhecidos sob a designação de agama, ou seja, tradição, teríamos como significado final "estender a tradição", mas na realidade entende-se como estender a serpente (energia sexual por todo os chakras).
MANTRA-YOGA:A YOGA dos sons internos e externos, os mantras são poderosos sons que movem as energias psíquicas e fisiológicas. A palavra MANTRA é derivada doa raiz MAN que significa pensar e o sufixo TRA significa instrumento, é o ramo da yoga que estuda as vibrações sonoras, a vocalização. Existem sons místicos, sagrados que quando evocados sistematicamente despertam a consciência.
Fontes: -Revista Planeta.-Georg Feuerstein - Manual da Yoga-Internet

O que é Yoga?


O QUE É A YOGA?

"Conjunto de técnicas que podem ser utilizadas para o desenvolvimento da saúde física, mental e psíquica da personalidade humana, assim como para controle do estresse, maior eficiência nas atividades do dia-a-dia, melhor qualidade do descanso e para um progressivo equilíbrio interior." É assim que o Yoga geralmente é visto no Ocidente. Todavia, o objetivo maior do Yoga, como ciência do autoconhecimento, é a libertação progressiva da consciência, através de técnicas meditativas superiores, constantes da preciosa obra sânscrita Yoga-Sutras (século IV a.C.), do filósofo e sábio hindu Patânjali.
Há diferentes tipos de Yoga que se adaptam a diferentes tipos de personalidade. Historicamente, o mais significativo ramo do Yoga é o Sistema Clássico de Patânjali, também chamado Raja Yoga ou Yoga Darshana. Existem inúmeros outros tipos de Yoga, muitos deles não-sistemáticos, geralmente misturados com conceitos populares. O tipo de Yoga atualmente mais praticado no Ocidente é o Hatha Yoga.
A palavra yoga vem da raiz sânscrita yuj que significa atrelar, unir, juntar. Seria então a união do ser individual (jivatman) ao Ser Supremo (paratman). Podemos considerar o Yoga como a ciência da educação integral.O Yoga é um processo que possibilita despertar, descobrir e transformar o ser humano em todos os seus aspectos. É um caminho para a transformação pessoal, cultural e universal.O Yoga possui inúmeras técnicas e preceitos filosóficos que ajudam o homem em seu processo de transformação.A história da Yoga se perde nos milênios, é considerada filosofia-religião e é a soma da evolução de várias épocas. O sacrifício e o esforço individual preconizados nos ensinamentos de Yoga tem a sublime finalidade: a liberação de Agni, o fogo da vida. Mas os mestres advertem sobre a difusão da Yoga:" Que ninguém a ensine a quem não tenha pacificado o seu espírito”.


A DEUSA DE SAL

Conta uma lenda que em uma ilha longínqua vivia uma solitária deusa de sal. Ela era apaixonada pelo mar. Passava dias, noites, horas na praia, observando o balanço de suas ondas, sua beleza, seu mistério, sua magnitude. Um desejo enorme começou a apossar-se do seu coração: experimentar toda aquela beleza. Esse desejo ia aumentando até que um dia a deusa resolveu entrar no mar. Logo que ela colocou os pés no mar, eles sumiram, derreteram-se. Encantada com o mar, ela seguiu adiante, sentindo partes do seu corpo derretendo-se, até ficar apenas como o rosto do lado de fora. Uma estrela que observava tudo, falou: - "Linda deusa, você vai desaparecer por completo. Daqui a pouco você não mais existirá." A água do mar desfazia o rosto da deusa, mas ela respondeu, fazendo um esforço: - "Continuarei existindo, porque agora eu sou o mar também." Para conhecer e experimentar é preciso permitir-se, ir em frente. Quando isto acontece, a mudança se dá, mudamos. A deusa mudou, transformando-se em mar, fazendo parte dele, passou a ser o mar que ela tanto admirava da praia. O mar, por sua vez, também transformou-se, porque foi salgado pela deusa. Ambos experimentaram a mudança: a deusa e o mar.
(Autor desconhecido)

Recebida por e-mail pelo Frater Rogério moderador da Comunidade "Eternos Buscadores"

Uma Flor





Uma flor


Era uma vez uma flor que nasceu no meio das pedras. Quem sabe como, conseguiu crescer e ser um sinal de vida no meio de tanta tristeza. Passou uma jovem e ficou admirada com a flor. Logo pensou em Deus. Cortou a flor e a levou para a igreja. Mas, após uma semana a flor tinha morrido. Era uma vez uma flor que nasceu no meio das pedras. Quem sabe como, conseguiu crescer e ser um sinal de vida no meio de tanta tristeza. Passou um homem, viu a flor, pensou em Deus, agradeceu e a deixou ali; não quis cortá-la para não matá-la. Mas, dias depois, veio uma tempestade e a flor morreu... Era uma vez uma flor que nasceu no meio das pedras. Quem sabe como, conseguiu crescer e ser um sinal de vida no meio de tanta tristeza. Passou uma criança e achou que aquela flor era parecida com ela: bonita, mas sozinha. Decidiu voltar todos os dias. Um dia regou, outro dia trouxe terra, outro dia podou, depois fez um canteiro, colocou adubo... Um mês depois, lá onde tinha só pedras e uma flor, havia um jardim!
Assim se cultiva uma amizade...
Fonte:
Recebida por e-mail pelos moderadores da Comunidade "Eternos Buscadores"

O Significado de OM




OM

Em sânscrito, o significado de Om é avati ou rakshati. Rakshati significa "aquilo que protege, sustenta". Portanto, aquilo que sustenta tudo é Om e o que sustenta tudo é o que nós podemos ver como a ordem. Podemos ir mais adiante; esta ordem é a realidade de tudo. A própria ordem é uma realidade. E então, a essência da própria ordem é Om. Isto significa que Om é o nome do Senhor que permeia o seu ser, que preserva tudo no mundo na forma de niyati, a forma da ordem que sustenta.Quando dizemos que a ordem está por trás de tudo, isto não quer dizer "atrás" de alguma coisa que está aqui. É a própria coisa.Om é também usado como um símbolo (pratika em sânscrito) para tudo, o universo inteiro, porque Om sustenta tudo. O universo inteiro significa não somente o universo físico, mas também a experiência dele. Este é o significado que os Vedas depositam neste símbolo.Sendo uma tradição oral, os Vedas explicam Om como feito de três partes. São partes fonéticas deste som Om e cada uma dessas partes carrega um certo significado. Isto é chamado superimposição, adhyasa. Você superimpõe um significado sobre estes sons.No OM, há "A", há "U", há "M". "A" é uma vogal, "U" é uma vogal, "M" é a consoante. Então este "A" mais "U" mais "M" juntos tornam-se "OM". "A" mais "U" tornam-se "O", um ditongo. Se você percebe como "A" e "U" são pronunciados, como uma combinação no sthana, o local de onde o som vem, então você verá que "A" mais "U" só pode ser "O". E com "M" no final, ele se torna "OM".O vocábulo "A" representa todo o mundo físico de sua experiência. O experienciador, a experiência e o experienciado, todos três são cobertos pelo som "A". Quando você está acordado você está ciente de seu corpo físico e deste mundo físico - conhecido e desconhecido. Você está também ciente da experiência do mundo físico. Ao mesmo tempo você está ciente do experimentador - que é você. Todos estes três dos quais você está ciente são "A".O vocábulo "U" é o mundo de pensamento que é distintamente experienciado como diferente do mundo físico. Um mundo de pensamento, que é distintamente experienciado, como seu sonho, como sua imaginação e como abstrato ou sutil, sukshma, é representado por "U". O mundo de pensamento, o objeto do mundo de pensamento e sua experiência são o significado do som "U".Em seguida há "M". Ele representa a experiência que você tem no sono profundo, a condição não manifesta. O que existiu antes e depois da criação é o significado do som "M".Então, aquele que dorme e a experiência do sono, o sonhador e a experiência do sonho, o acordado e a experiência do acordado, todos estes três constituem o que nós chamamos como tudo o que existe. Todos estes três juntos representam Om.

Trecho do livro "A Sabedoria Divina", de Jacob Boehme



O discípulo perguntou a seu mestre:" Para onde vai a alma quando o corpo morre?O mestre respondeu:" Não há necessidade de ir a parte alguma".Discípulo: "Mas, com a morte, não deve a alma abandonar o corpo e ir para o céu ou o inferno?"Mestre:" Não há porque ir a parte alguma. A alma tem o céu e o inferno dentro de si; ela apenas se separa da vida exterior e mortal e do corpo. É como está escrito:O reino dos céus não vem com aparência visível; nem se dirá ei-lo aqui ou ali, porque o Reino de Deus está dentro de vós. Assim, a alma se estabelecerá no que quer que se manifeste em ti, seja o céu ou o inferno".Discípulo:"Isso é muito difícil de entender.Porventura a alma não entra no céu ou no inferno do mesmo modo que se entra numa casa, ou num lugar desconhecido, através de uma porta ou janela? Ela não entra em outro mundo?".Mestre: Não! Na verdade não ocorre tal entrada, porque o céu e o inferno estão em toda parte, coexistindo universalmente".Discípulo:" Como é possível? O céu e o inferno podem estar presentes aqui onde estamos? E se um deles pudesse estar presente, queres me fazer crer que ambos poderiam estar aqui juntos?

Trecho do livro "A Sabedoria Divina", de Jacob Boehme
Enviado por e-mail pelos moderadores da Comunidade "Eternos Buscadores"

Pratique Yoga





Pratique YOGA
No mundo ocidental querem-se criar conceitos para tudo, e para o Yoga, não há conceito. As palavras criadas pelos homens não conseguem definir o que é yoga. É uma vivência na qual cada um terá o seu despertar.
A palavra Yoga vem do sânscrito, que tem vários significados (como união, trabalho, aplicação). Porém, quem vivencia Yoga sabe que é muito mais do que isso.
“O Yoga deve ser conhecido por meio do Yoga; o Yoga manifesta-se mediante o Yoga. Aquele que se aplica sem descanso ao Yoga, no final encontra no Yoga uma alegria permanente.” Vyása, Yoga Bháshya, III:6
“O que há de mais precioso no yoga é que, se você tem coragem de encarar essa caminhada para dentro de si mesmo, acaba se tornando o seu próprio salvador. Adquire a capacidade de se tornar forte, contente e satisfeito sem depender de outra pessoa. O corpo espiritual que você possui contém todo o conhecimento de que você vai precisar para atingir o cume mais alto a que pode chegar na vida. As técnicas e a filosofia do yoga constituem uma ponte para encontrar você dentro de você mesmo.” Trecho extraído do livro “A yoga do coração”, Alice Christensen, Ed. Pensamento, São Paulo.
O yoga é também descrito como a sabedoria na ação ou a arte de viver com harmonia e moderação em meio às atividades. É estar em qualquer lugar, mas presente no que se está fazendo. É um estado constante de auto-observação , integração e união com tudo que o rodeia e consigo mesmo . É sentir-se parte integrante da vida, da natureza, do universo. Mas Yoga é também trabalho , estudo e principalmente prática, para continuar a renovação e manter os estágios já atingidos.
Na prática do Yoga, se insiste em uma boa integração do corpo, emoções, mente e espírito . Um corpo saudável e com vitalidade, entre todos os requisitos é o mais básico para esta viagem que é a vida. E o Yoga reestabelece a relação primitiva entre o corpo e a mente
e devolve equlíbrio ao organismo. O Yoga nos ensina a entender o corpo e a desenvolver a sua sabedoria e inteligência original , através dos ásanas que são as técnicas corporais.
Cada individuo é livre para escolher a forma de Yoga que está em afinidade com o seu caráter, suas aspirações e suas capacidades, ou pode, a seu gosto, recorrer a uma combinação particular dessas diferentes formas. O Bhagavad-Gítá , texto central do hinduísmo, nos dá a esse respeito o exemplo de uma fusão harmoniosa das diferentes vias de abordagem, em seus dezoito capítulos, cada um dos quais com o nome de um Yoga diferente.
O legado do Yoga foi transmitido oralmente de mestre à discípulo por muitas gerações . A palavra sânscrita que designa esta transmissão de conhecimento é parampará, que significa "um depois do outro". Muito foi acrescentado, muito foi abandonado ou alterado. O Yoga não é, de maneira alguma, um todo homogêneo. Os pontos de vista e práticas variam de escola para escola. Não há apenas um Yoga, mas uma variedade de caminhos yogis e abordagens com estruturas e objetivos teóricos contrastantes, mas todas estas linhas pretendem levar o praticante ao estado de não condicionamentos, o estado de libertação chamado de moksha.
Historicamente, o mais significativo de todos os tipos de Yoga é o sistema clássico de Patañjali, também chamado de Yoga Dárshana. Este sistema representa o resumo de muitas gerações de cultura yogi. Patañjali não criou o Yoga , limitou-se a c odificá-lo no Yoga Sútra ou Aforismos do Yoga , que foi composto em uma época que varia, segundo os eruditos, entre os séculos II aC e IV dC.
Essa obra, de extrema concisão, desenvolvida posteriormente por numerosos comentários, forma o texto base do Yoga como Dárshana, isto é, um dos seis pontos de vista sobre a Realidade última e os modos de aproximar-se dessa Realidade.
O sistema de Patañjali é também chamado de Ashtanga Yoga , um Yoga em oito partes , ou oito membros. A palavra anga quer dizer membro ou parte constituinte de um corpo. No presente contexto obviamente designa as oito subdivisões em que a técnica yogi está dividida.

Benefícios do Yoga




Benefícios do Yoga

1. Cultivar e conquistar boa saúde.

2. Ultrapassar ou aliviar asma, diabetes, dores nas costas, excesso de peso, desordens do aparelho digestivo, melhoria do sistema cardiovascular, do funcionamento das glândulas endócrinas e ser utilizada como terapia de apoio para inúmeras enfermidades. O benefício para o sistema nervoso e o cérebro é inigualável.
3. Aprimoramento de nossa condição estética pela pele, definição corporal e semblante pessoal. Podemos trabalhar o corpo de maneira localizada sem o risco de se desenvolver volumes desnecessários de musculatura, que tendem a se tornar um fardo para o coração e a se transformarem em gordura com o tempo, acelerando o processo de envelhecimento do corpo. E o melhor, podemos trazer de dentro e incorporar em nossa fisionomia a nossa insondável beleza interior.
4. Aliviar ou eliminar gradativamente as causas que apóiam as manifestações de males que possuam fundo mental ou emocional, estima-se que 80% dos problemas de saúde se encontram nesta categoria, conhecidos pelo nome de problemas pisco- somáticos.
5. Desenvolver a força de vontade.
6. Experimentar a expressão real de nosso potencial humano latente.
7. Melhoria do relacionamento humano.
8. Aprimoramento eficaz e intenso de nosso intelecto, concentração e memória.
9. Auto-conhecimento e paz interior.
10. Alívio de estresse.

Texto: Salatino


Pelo menos uma vez ao dia eu me sento em silêncio e mergulho dentro de mim para me ligar com a sabedoria e o conhecimento que habitam em mim.Basta um instante e entro em contato com elas. Todas as respostas a todas as perguntas que farei em minha vida estão em mim, esperando que eu vá procurá-las.Meditar é uma alegria.Eu apenas sento, inspiro e expiro profundamente, relaxo meus músculos e logo estou no centro de paz que existe dentro de mim.Passados alguns instantes, volto ao momento presente refrescado, renovado e pronto para retomar a vida. Para mim, cada dia é uma nova e alegre experiência, porque escolho ouvir minha própria sabedoria.Ela vem da essência do que existe por trás da estrutura de tempo, espaço e mudança. Quando medito, ligo-me com a parte profunda e imutável de mim, que é energia, luz e a resposta que já chegou.

Texto: Salatino

Comunidade "Eternos Buscadores"

Yoga em Casa Introdução






O Asana deve ser firme e confortável. Ele não deve ser a causa de nenhum tipo de desconforto. Qualquer retesamento ou tensão observada no corpo deve ser conscientemente relaxada. Esta posição deve ser tão confortável que você possa ficar na mesma por um longo período. O Asana deve ser um esforço de corpo e mente. A sensação de se estar absolutamente relaxado é sinal de um asana perfeito. A respiração deve ser normal e ritmada, iniciada nas narinas, e terminada no abdômen e não se deve movimentar o tórax.
De acordo com os praticantes de Hatha Yoga, quando você consegue gerenciar o controle corporal, você se libera da chamada 'dualidade dos opostos', como o calor e o frio, a fome e a gula, alegria e a tristeza, assim por diante.
Abaixo estão relacionadas as orientações para realizar o Yogasana:* Um copo de água deve ser tomado antes da pratica de asanas.* O estomago deve estar vazio. Asanas devem ser praticados 8 horas após o almoço, 2 horas após um copo de leite e uma hora após se comer uma fruta.* Sempre praticar asanas de manhã. Se isto não for possível, próximo ao entardecer.* Comidas gordurosas, muito secas, congeladas, muito quentes ou em excesso devem ser evitadas.* Não se deve forçar ou pressionar nada quando praticar asanas.* Não se deve sair no frio após praticar asanas.* mover a cabeça lentamente; se o asana afetar seu equilíbrio.* A respiração deve ser controlada e deve ser sempre pelas narinas. Os benefícios dos asanas aumentam se for praticado o pranayama simultaneamente.* Se o corpo estiver estressado, praticar o Shavasana.* Asanas devem ser praticados em uma sala limpa e bem-ventilada. A atmosfera deve ser pacifica.* Exercícios físicos leves (alongamentos), seguido pelo yogasana, pranayama e samyama é um sequência ideal.* Durante a gravidez, apos o terceiro mês, exercícios que exigem que se deite sobre o estomago devem ser evitados.